Literatura infantil em contextos educativos formais e não formais: a técnica do voo

Teresa Mendes

Resumo


RESUMO: No presente artigo, discute-se a problemática da literatura infantil em contextos educativos formais e não formais relevando o papel do adulto-mediador na promoção da fruição estética e da compreensão leitora atendendo aos níveis de desenvolvimento da leitura e às experiências vivenciais do potencial recetor infantil. Preconiza-se a liberdade de seleção dos livros que o adulto considera mais adequados para abordar com as crianças, apesar dos constrangimentos legais que se lhe colocam no que diz respeito às diretrizes ministeriais plasmadas nos documentos programáticos e nas orientações curriculares para a sua prática educativa e pedagógica. Procura-se assim demonstrar que o agente educativo não deve apenas cingir-se à abordagem didática de obras obrigatórias nos referenciais que regem a sua prática letiva, mas pode e deve ir mais além, convocando textos e autores que se lhe afigurem relevantes para incutir o prazer da leitura e potenciar a educação literária dos mais novos, de modo a que se tornem, gradativamente, leitores competentes e críticos, capazes de extrair significados plurais das obras que lhe são preferencialmente dirigidas ou de que eles se apropriam por via da relação afetiva com o ato de ler.


Palavras-chave


literatura infantil; contextos educativos formais e não formais; educação literária

Texto completo:

PDF

Referências


AZEVEDO, F. . Literatura infantil e educação literária. A. Balça & M. Pires. Literatura Infantil e Juvenil: Formação de Leitores. Carnaxide: Santillana, 2013.

BUESCU, H. et al. Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Básico. Lisboa: Ministério da Educação e Ciência, 2015.

CERVERA, J. Teoria de la Literatura Infantil. Bilbao: Mensajero, 1991.

MENDES, T. Vozes e Silêncio: a Poética do (Des)encontro na Literatura para Jovens. Lisboa: Bubok, 2015.

MERGULHÃO, T. Literatura Infantil e a técnica do voo. PROFFORMA, n. 03, 2011. Disponível em:

MORAIS, J. A Arte de Ler – Psicologia cognitiva da leitura. Lisboa: Cosmos, 1997.

PENNAC, D. Como um Romance. 11. ed. Porto: Asa, 1999.

REDES, L. A educação literária nos novos programas de Português do ensino básico. Disponível em . Acesso em: 14 de maio de 2018.

SILVA, I. (coord.). Orientações Curriculares para a Educação Pré-escolar. Lisboa: Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação, 2016.

SILVA, S. Das palavras às ilustrações: uma leitura de O Nabo Gigante e de João e o Feijoeiro Mágico. Disponível em . Acesso em: 21 de maio de 2018.

SIM-SIM, I. A formação para o ensino da leitura. Disponível em . Acesso em: 29 de maio de 2018.

VELOSO, R. A leitura Literária. Disponível em . Acesso em: 10 de maio de 2018.

VYGOTSKY, L. A Imaginação e a Arte na Infância. Lisboa: Relógio D’Água, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2019v37p67

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Fale conosco