Na brevidade a abrangência: ironia em duas minificções de Dalton Trevisan

Gilda de Albuquerque Vilela Brandão, Wesslen Nicácio de Mendonça Melânia

Resumo


No presente trabalho, analisamos a presença da ironia em duas minificções do escritor Dalton Trevisan: “A boneca” e “Emiliano redivivo”. Cada ministória apresenta uma construção irônica em que a incidência da ironia intensifica a característica condensada e sintética dos textos e sua capacidade de potencializar sentidos. A ironia, em si mesma, já se constitui em um recurso polissêmico que produz, no mínimo, dois sentidos distintos em um mesmo dizer. Além disso, a escrita de Dalton Trevisan, marcada pela construção de narrativas ultracurtas, preza a objetividade e o poder de condensação que fazem com que o discurso literário seja ainda mais permeado pela multiplicidade de sentidos. Assim, a compreensão das várias manifestações da ironia na escrita do autor constitui-se em chave de leitura que contribui para a compreensão do gênero da minificção e sua manifestação na escrita deste escritor. Também destacamos o papel da ironia na crítica da sociedade curitibana e da percepção da violência, conteúdos recorrentes na obra de Dalton Trevisan. Finalmente, utilizamos o método de análise literária através da perspectiva da redução estrutural, relacionando o uso da ironia nas minificções com uma leitura da realidade.

Palavras-chave


Ironia; Brevidade; Minificção; Dalton Trevisan

Texto completo:

PDF

Referências


BRAIT, Beth. Ironia em perspectiva polifônica. 2a. ed. Campinas: Editora da Unicamp, 2008.

FONTES, Luísa Cristina dos Santos. Página em construção... Helena Kolody e a crítica. In: Seminário Internacional Fazendo Gênero 10: desafios atuais dos feminismos (Anais eletrônicos). Florianópolis, 2013. Disponível em: http://www.fazendogenero.ufsc.br/10/resources/anais/20/1386689381_ARQUIVO_LuisaCristinadosSantosFontes.pdf. Acesso em 15 set. 2017.

GARCIA, Othon M. Comunicação em prosa moderna. 22a. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2002.

HUTCHEON, Linda. Teoria e política da ironia. (Tradução de Julio Jeha). Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2000.

HUTCHEON, Linda. Poética do pós-modernismo: história, teoria, ficção (Tradução Ricardo Cruz). Rio de Janeiro: Imago, 1991.

PIGLIA, Ricardo. Formas breves. Buenos Aires: Debolsillo, 2014.

TREVISAN, Dalton. Duzentos ladrões. Porto Alegre: L&PM, 2008.

TREVISAN, Dalton. Desgracida. Rio de Janeiro: Record, 2010.

WALDMAN, Berta. Ensaios sobre a obra de Dalton Trevisan. Campinas: Editora da Unicamp, 2014.

ZAVALA, Lauro. Cartografías del cuento y la minificción. Sevilla: Renacimiento, 2004. Disponível em: http://www.laurozavala.info/attachments/Cartografas.pdf. Acesso em 15 set. 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2017v34p19

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Os artigos têm Identificador de Objeto Digital (DOI). 
 
Índice de Citações dos artigosGoogle Acadêmico

a) índice h1 - (>2016) - 11
b) índice i10 - (>2016) - 14

MIAR - ICDS (2021) - 6.3

Fale conosco