Retrato de um inquietante vestido: quase objeto?

Marisa Martins Gama-Khalil

Resumo


O artigo esboça algumas relações entre a arte literária e a fotografia por intermédio do conto “Vestido de fustão”, do escritor José J. Veiga. Na coletânea intitulada Objetos turbulentos, em que se insere o referido conto, em todas as narrativas as coisas são alçadas a um lugar de destaque, quase exercendo a função de personagens das tramas. Essa valoração dos objetos é realizada, na maioria dos casos, através de recursos que se aproximam da focalização da fotografia, uma vez que a imagem do objeto se projeta de modo central, detalhadamente, como a poetizar o instante de sua captação, revelando o punctum ao seu espectador/leitor. Os objetos desvelam situações insólitas, problematizando as práticas de subjetivação/objetivação, nas quais os sujeitos se encontram enredados. Buscaremos demonstrar que os objetos insólitos, por serem perspectivados como punctum, obedecem a um processo de rostificação, processo esse de que decorre a ambiência fantástica nas narrativas em que se inserem, e por essa razão eles se tornam turbulentos ou quase objetos. Para a análise tomaremos como suporte especialmente os estudos de Roland Barthes e Gilles Deleuze.

Palavras-chave


Literatura; Fotografia; Punctum.

Texto completo:

PDF

Referências


BARTHES, Roland. A câmara clara. 12ª ed. Trad. Júlio Castañon Guimarães. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

BARTHES, Roland. Ensaios críticos. Trad. António Massano e Isabel Pascoal. Lisboa: Edições 70, 2009.

BENJAMIN, Walter. Pequena história da fotografia. In: BENJAMIN, Walter. Magia, técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1994. p. 91-107.

CALVINO, Italo. Coleção de areia. Trad. Maurício Santana Dias. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

CARTIER-BRESSON, Henri. Fotografiar del natural. Trad. Núria Pujol I Valls. Barcelona: Gustavo Gili, 2003.

CASA NOVA, Vera. Texturas: Ensaios .Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2012.

DELEUZE, Gilles. Cinema 1: Imagem-Movimento. Trad. Sousa Dias. São Paulo: Brasiliense, 1985.

DERRIDA, Jacques & Lena Bergstein. Enlouquecer o subjétil. Trad. Geraldo de Souza. São Paulo: Ateliê; Ed. UNESP, 1998.

DUBOIS, Phillipe. O ato fotográfico. Trad. Maria Appenzeller. Campinas: Papirus, 2001.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo Aurélio Século XXI. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

FREUD, Sigmund. O inquietante. In: FREUD, Sigmund. História de uma neurose infantil (O homem dos lobos): Além do princípio do prazer e outros textos. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2010, p. 328-376.

FURTADO, Filipe. A construção do fantástico na narrativa. Lisboa: Livros Horizonte, 1980.

GENETTE, Gérard. Nouveau discours du récit. Paris : Éditions du Seuil, 1983.

HISSA, Cássio Eduardo Viana. A mobilidade das fronteiras: Inserções da geografia na crise da modernidade. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2006.

PONGE, Francis. Alguns poemas (Antologia poética). Manuel Gusmão, org. e trad. Lisboa: Cotovia, 1996.

SPINOZA, Benedictus de. Ética. Trad. Tomaz Tadeu. Belo Horizonte: Aut~entica, 2013.

VEIGA, José J. Objetos turbulentos: Contos para ler à luz do dia. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2016v32p95

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Fale conosco