O jornal no século XIX: um espaço de diálogos literários

Alan Victor Flor da Silva

Resumo


A partir do pressuposto de que os periódicos no século XIX apresentam características de uma escrita propriamente jornalística (periodicidade, coletividade, rubricidade e atualidade) e veiculam gêneros de caráter literário (romances, romances-folhetins, crônicas, contos, poemas e ensaios críticos), objetivamos, com este trabalho, demonstrar as discussões e os debates sobre a crítica literária no estado do Pará do Oitocentos entre Marques de Carvalho, redator do periódico A Arena, e PLAN (pseudônimo), colunista do jornal A Província do Pará, a fim de demonstrar o jornal no período oitocentista como um suporte que apresenta o aspecto polifônico como uma de suas características mais evidentes.


Palavras-chave


Marques de Carvalho; PLAN; Crítica literária

Texto completo:

PDF

Referências


ASSIS, Machado de. O ideal do crítico. Obra completa. 3 vols. Rio de Janeiro: Nova Aguilar. 3: 798-801.

BARBOSA, Socorro de Fátima Pacífico. Jornal e literatura: a imprensa periódica no século XIX. Porto Alegre: Nova Prova, 2007.

BROCA, Brito. Naturalistas, parnasianos e decadistas: vida literária do Realismo ao PréModernismo. Campinas: EdUNICAMP, 1991.

CHARTIER, Roger. A ordem dos livros: leitoras, autores e bibliotecas na Europa entre os séculos XIV e XVIII. Brasília: EdUnb, 1999.

LUSTOSA, Isabel. O nascimento da imprensa brasileira. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

MACHADO, Ubiratan. A vida literária durante o Romantismo. 2. ed. Rio de Janeiro: Tinta Negra, 2010.

MENDES, Leonardo. O romance republicano: naturalismo e alteridade no Brasil, 1880- 90. Letras & Letras (Uberlândia) 24: 189-207, 2008.

ROMERO, Sílvio. A função da crítica. Antonio Candido, org. Sílvio Romero: teoria, crítica e história literária. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1978.

THÉRENTY, Marie-Ève. La littérature au quotidien: poétiques journalistiques au XIXe siècle. Paris: Seuil, 2007.

ZOLA, Émile. Do romance: Stendhal, Flaubert e os Goncourt. Trad. Plínio Augusto Coelho. São Paulo: Imaginário; Edusp, 1995.

ZOLA, Émile. O romance experimental. O romance experimental e o Naturalismo no teatro. São Paulo: Perspectiva, 1982.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2014v28p8

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Fale conosco