O Sertão Brasileiro como Espaço do Gótico em “O Caso Inexplicável da Orelha de Lolô”, de Bernardo Élis

Alexander Meireles da Silva

Resumo


Enquanto imagem/conceito descritivo de uma região/geografia/local espacial que, dentre outras leituras, é representada na forma de uma terra estrangeira para os próprios brasileiros ou como lócus das enormes diferenças sociais dentro do país, o sertão brasileiro se coloca, como este artigo pretende demonstrar a partir da análise do conto “O caso inexplicável da orelha de Lolô” (1944), do goiano Bernardo Élis, um ambiente propício para a manifestação de narrativas que compartilham elementos semelhantes com as praticadas pela literatura gótica anglo-americana, marcadas pelo discurso racionalista das elites culturais e econômicas contra locais e grupos marginalizados.

Palavras-chave


Literatura fantástica; Literatura brasileira; Regionalismo; Gótico colonial

Texto completo:

PDF

Referências


BACHELARD, Gaston. A Poética do Espaço. Trad. Joaquim José Moura Ramos. São Paulo: Abril Cultural, 1978.

BORGES FILHO, Ozíris. Espaço e Literatura: Introdução à Topoanálise. Franca: Ribeirão Gráfica e Editora, 2007.

BOSI, Alfredo. História Concisa da Literatura Brasileira. 47ed. São Paulo: Cultrix, 2006.

BOTTING, Fred. Gothic. London: Routledge, 1996.

BURKE, Edmund. Uma Investigação Filosófica sobre a Origem de nossas Idéias do Sublime e do belo. Trad. Enid Abreu Dobránszky. Campinas, SP: Papirus Editora, 1993.

CARROLL, Noël. A Filosofia do Horror ou Paradoxos do Coração. Trad. Roberto Leal Ferreira. Campinas, SP: Papirus, 1999.

CESERANI, Remo. O Fantástico. Trad. Nilton Cezar Tridapalli. Curitiba: Editora UFPR, 2006.

DURAND, Gilbert. As Estruturas Antropológicas do Imaginário. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

DOUGLAS, Mary. Pureza e perigo: Ensaio sobre a Noção de Poluição e Tabu. Trad. Sônia Pereira da Silva. Lisboa: Edições 70, 1991.

ÉLIS, Bernardo. O caso inexplicável da orelha de Lolô. Ermos e gerais. São Paulo: Martins Fontes, 2005. 175-190.

FAUSTO, Boris. O Pensamento Nacionalista Autoritário: 1920-1940. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 2001.

IMLAY, Elizabeth. “The Brontës”. Marie Mulvey-Roberts, ed. The Handbook to Gothic Literature. New York: New York University Press, 1998. 27-30.

LIMA, Herman. Variações sobre o Conto. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Saúde, 1952.

LOBATO, Monteiro. “Bocatorta”. Urupês. 31ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1985. 100-112.

LOVECRAFT, H. P. O horror sobrenatural em literatura. Trad. Celso M. Paciornik. São Paulo: Iluminuras, 2007.

MILBANK, Alison. “Female Gothic”. Marie Mulvey-Roberts, ed. The Handbook to Gothic Literature. New York: New York University Press, 1998. 53-57.

NEEDELL, Jeffrey D. A Tropical Belle Epoque: Elite Culture and Society in Turn-of-thecentury. Rio de Janeiro. Cambridge: Cambridge University Press, 1987.

OLIVEIRA, Julvan Moreira de. “Matrizes imaginárias e arquetipais do negro como mal no pensamento educacional do ocidente”. Disponível em www.anped.org.br/reunioes/26/trabalhos/julvanmoreiradeoliveira.rtf. Acesso em: 10 jul. 2013.

POE, Edgar Allan. A Queda da Casa de Usher. O gato preto e outros contos. São Paulo: Hedra, 2008. 107-135.

ROSA, João Guimarães. Grande sertão: Veredas. 12ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1978.

SNODGRASS, Mary Ellen. “Colonial Gothic”. Mary Ellen Snodgrass. Encyclopedia of Gothic Literature. New York: Facts On File, 2005. 61-62.

WARWICK, Alexandra. “Colonial Gothic”. Marie Mulvey-Roberts, ed. The Handbook to Gothic Literature. New York: New York University Press, 1998. 261-262.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2013v26p95

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Fale conosco