A crítica de Afrânio Coutinho, da teoria à prática: o caso Machado de Assis

Bernardo Nascimento de Amorim

Resumo


Minha proposta é realizar uma análise dos dois principais textos de Afrânio Coutinho sobre Machado de Assis, observando em que a posição do autor se modifica, entre um e outro, em decorrência da aquisição de um novo arsenal de conceitos a respeito da crítica literária. Em concomitância com a referida análise, pretendo destacar tais conceitos, bem como a ausência deles, indicando a sua importância para a renovação das teorias que Coutinho iria defender ao longo da maior parte de sua carreira.

Palavras-chave


Afrânio Coutinho; Crítica literária; Machado de Assis

Texto completo:

PDF

Referências


ASSIS, Machado de. 1938. “Litteratura brasileira: instincto de nacionalidade”. Critica litteraria. Rio de Janeiro: W. M. Jackson. 133-154.

CANDIDO, Antonio. 2009. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos (1750- 1880). 12. ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul.

COUTINHO, Afrânio. 1940. A filosofia de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Vecchi.

COUTINHO, Afrânio. 1968. Crítica e poética. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica.

COUTINHO, Afrânio. 1966. Machado de Assis na literatura brasileira. 2. ed. Rio de Janeiro: Livraria São José.

ELIOT. T. S. 1989. “Tradição e talento individual”. Ensaios. São Paulo: Art Editora. 37- 48.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2011v22p37

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Fale conosco