Desrealização e alegoria na representação da tortura e da morte em "Garopaba, mon amour", de Caio Fernando Abreu

André Luiz Gomes de Jesus

Resumo


No presente artigo analisamos as relações entre a alegoria, o conceito de desrealização e o tema da morte, que, articulados, constituem uma representação da tortura no conto "Garopaba, mon amour". Tema recorrente da literatura produzida na década de 1970, a violência é tomada, no conto em questão, como acontecimento que flagra um momento problemático da história brasileira, o contexto da ditadura militar, e, a partir da construção de uma narrativa estilhaçada/fragmentária, torna o conto um documento em que memória, trauma e vivência de choque (chokerlebnis) se articulam na constituição de um texto que pode ser lido como uma alegoria da violência.
In the present paper I analyze the relationship among the allegory, the concept desrealization and the subject of the death that articulated, are a representation of the torture in the short-story "Garopaba mon amour". Recurrent subject in the 1970s literature, the violence is taking in the short-story in question, as an event that catches a troubled moment in Brazilian history – the context of the military dictatorship – and from the construction of a narrative shattered/fragmented makes the short-story a document memory, trauma and shock experience (chokerlebnis) are articulated in the constitution of a text that can be read as an violence allegory.

Palavras-chave


alegoria; desrealização; memória; morte; satire; allegory; desrealization; memory; death

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2010v19p50

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Fale conosco