Fábula renovada, ditadura questionada: A floresta azul, de Orígenes Lessa

Amaya Obata Mouriño de Almeida Prado

Resumo


O objetivo deste trabalho é apresentar a obra A floresta azul (1973), de Orígenes Lessa (1903-1986) como uma "fábula renovada", ou a atualização das fábulas tradicionais, que neste contexto político se prestaria a alertar os leitores sobre a violência e a falta de liberdade do período ditatorial. Analisa-se a escrita de protesto, tanto pela tematização da resistência quanto por suas características estruturais que apontam a união do povo e o uso da inteligência e da linguagem como forma de reação.  Operando indutivamente, o trabalho parte de considerações sobre o conto de fadas renovado, noção estabelecida por Lajolo e Zilberman (1988). 

ABSTRACT: This paper presents A floresta azul (1973), by Orígenes Lessa (1903-1986) as a renewed fable or revisited traditional fable. In the political context of 1970's in Brazil, the text alerts the readers to questions such as violence and lack of freedom in dictatorial period. The text of resistance is analyzed considering themes and structures that show people union and language as a form of protest. Operating comparatively this work assumes Lajolo and Zilberman´s (1988) concept of revisited tales. 


Palavras-chave


literatura Infanto-juvenil; Orígenes Lessa; resistência; fábula renovada; children and teen literature; resistance; revisited fables

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2010v19p38

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Fale conosco