Literatura e utopia revolucionária no cenário brasileiro pós-64: Bar Don Juan e Sempreviva

Giselia Rodrigues Dias da Silva

Resumo


O conturbado contexto sócio-histórico brasileiro que se estendeu de meados da década de 60 e perdurou até meados da década de 80, deixou marcas indeléveis na produção artístico-cultural desse período. Tais marcas são profundamente refletidas e reelaboradas pela literatura, sob os mais variados aspectos. Dentre elas, a abordagem estética da temática utopia/revolução que, no decorrer desse decurso, pode ser apreendida com maior ou menor intensidade nas obras ficcionais. Nesse sentido, esse estudo se propõe a analisar o modo pelo qual os romances Bar don Juan (1971) eSempreviva (1981), de Antonio Callado, reelaboram esteticamente em suas economias narrativas a questão do esfacelamento dos projetos utópicos.

The turbulent Brazilian socio-historical context which lasted from the mid-60's until the mid 80's, left indelible marks on the artistic and cultural production of that period. Such marks are deeply reflected by and further elaborated in many aspects in literature. Among them the aesthetic approach to thematic utopia/revolution that during this timeframe may be perceived with greater or lesser intensity in fictional works. Accordingly, I intend to analyze the way which Antonio Callado's novels Bar don Juan (1971) and Sempreviva (1981) aesthetically rethink the question of the disintegration of the utopian projects in their narrative economies.  


Palavras-chave


projeto utópico; esfacelamento; introjeção; Utopian project; disintegration; introjection

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2010v19p5

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Fale conosco