O encantamento da urbe e o apelo sensível na representação da violência em Memórias de um sobrevivente

Carla Zanatta Scapini

Resumo


Neste artigo, buscamos indagar acerca da representação da violência, no que concerne à natureza e ao papel das cenas de tortura que compõem o relato Memórias de um sobrevivente. A busca por compreender a construção de uma linguagem que representa a violência de forma plástica requer que atentemos para quais artifícios um sensório que estaria se manifestando em fina sintonia com o processo de urbanização exige para que algo tão inenarrável quanto a dor adquira uma ponte de comunicabilidade com o outro.

Palavras-chave


Violência; Cidade; Representação; Sensório

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, Flavio. “Literatura, cinema e televisão”. Tânia Pellegrinni et al. Literatura, cinema e televisão. São Paulo: Editora Senac, 2003.

MAFESOLI, Michel. A contemplação do mundo. Porto Alegre: Artes e ofícios, 1995.

MENDES, Luiz Alberto. Memórias de um sobrevivente. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

PELLEGRINI, Tânia. “Narrativa visual e narrativa verbal: possíveis aproximações”. Literatura, cinema e televisão. São Paulo: Editora Senac, 2003.

SCHOLLHAMMER, Karl Erik. “À procura de um novo realismo: teses sobre a realidade em texto e imagem hoje”. Heidrun Krieger Olinto & Karl Erik Schollhammer, orgs. Literatura e Mídia. São Paulo: Loyola, 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2009v15p75

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Os artigos têm Identificador de Objeto Digital (DOI). 
 
Índice de Citações dos artigosGoogle Acadêmico

a) índice h1 - (>2016) - 11
b) índice i10 - (>2016) - 10

MIAR - ICDS (2021) - 6.3

Fale conosco