Narrativa misógina em Angústia, de Graciliano Ramos

Marcos Hidemi de Lima

Resumo


O objetivo desse trabalho é analisar no romance Angústia (1936), escrito por Graciliano Ramos, como o narrador masculino, preso a um passado que o atormenta e a velhas concepções patriarcais, traça um retrato misógino das mulheres que o cercam, enxergando nelas meros objetos sexuais, notadamente quando ensaiam os primeiros passos para fora da esfera privada e passam a ocupar o espaço público, subvertendo o papel esperado de submissão à ordem masculina à qual estavam relegadas.   The objective of this work is to analyze in novel Angústia, written by Graciliano Ramos, how the male narrator, prisioner of a tormented past and old patriarchal conceptions, traces a misogyne picture of women that surrounded him, seeing them like only sexual objects, mainly when these women attempt the first steps towards the private sphere and start to occupy the public space, a subversion to the awaited role of submission to male order which they were relegated.   

Palavras-chave


Graciliano Ramos; figuras femininas; narrador masculino; misoginia; female figures; male narrator; misogyny

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2008v13p58

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Fale conosco