Homem da multidão e o flâneur no conto “O homem da multidão” de Edgar Allan Poe

Sérgio Roberto Massagli

Resumo


Este artigo analisa, através da leitura de Walter Benjamin, a diferença entre o flanêur e o homem da multidão, no conto “O Homem da Multidão”, de Edgar Allan Poe, bem como a constituição do flanêur como observador privilegiado da vida moderna e a flanêurie como meio de apreensão e representação desse novo espaço. This paper analyses, through the reading of Walter Benjamin, the differences between the flanêur and the man of the crowd in Edgar Allan Poe’s short story “The man of the Crowd”, as well as the constitution of the flanêur as a privileged observer of that society and flanêurie as a means of apprehension and representation of that new space. 

Palavras-chave


modernidade; estética urbana; espaço; modernity; urban aesthetics; flanêur; space

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2008v12p55

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Os artigos têm Identificador de Objeto Digital (DOI). 
 
Índice de Citações dos artigosGoogle Acadêmico

a) índice h1 - (>2016) - 11
b) índice i10 - (>2016) - 10

MIAR - ICDS (2021) - 6.3

Fale conosco