Ler a cidade, ler o texto: o submundo tornado palavra na narrativa de Fonseca

Sabrina Maria de Amorim

Resumo


Este artigo propõe analisar como o escritor Rubem Fonseca representa o urbano em seu conto “A arte de andar nas ruas do Rio de Janeiro”. Por meio da metatextualidade, o autor aproxima a figura da cidade à do texto literário, criando uma narrativa que é repleta de simbologias, que reflete sobre a arte de escrever e que transforma o espaço citadino no cenário propício para discussões referentes à modernidade e à literatura atual.

Palavras-chave


Rubem Fonseca; Cidade; Metatextualidade; Modernidade

Texto completo:

PDF

Referências


BENJAMIN, W. Paris do Segundo Império. Charles Baudelaire: um lírico no auge do capitalismo. Obras Escolhidas III. 2 ed. Trad. José Carlos Martins Barbosa. São Paulo: Brasiliense, 1991. 33-65.

FONSECA, R. A arte de andar nas ruas do Rio de Janeiro. Romance Negro e outras histórias. 2 ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. 11-50.

MACEDO, J. M. Um passeio pela cidade do Rio de Janeiro. Belo Horizonte: Livraria Garnier, 1991.

VIEGAS, A. C. C. Pedagogias da leitura em Rubem Fonseca e Joaquim Manuel de Macedo. Disponível em: http://www.uff.br/asselrio/ArquivosPDF/Coordenada/PEDAGO

GIAS%20DA%20LEITURA%20EM%20RUBEM%20FONSECA%20E%20JOAQUIM%20MANUEL%20DE%20M.pdf. Acesso em: 01 ago. 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2008v12p45

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Os artigos têm Identificador de Objeto Digital (DOI). 
 
Índice de Citações dos artigosGoogle Acadêmico

a) índice h1 - (>2016) - 11
b) índice i10 - (>2016) - 10

MIAR - ICDS (2021) - 6.3

Fale conosco