Leituras Modernas da Antiga Província: Nordestes, Gilberto Freyre e a Vanguarda Anglo-Americana

Silvana Moreli Vicente

Resumo


Pretendo abordar, em linhas gerais, como aspectos da vanguarda anglo-americana estiveram presentes no cenário cultural do Nordeste brasileiro na primeira metade do século XX. Tomando como referencial a obra do escritor Gilberto Freyre (1900-1987), veremos de que modo algumas das lições estéticas dos movimentos internacionais de vanguarda, especialmente representados pelo Imagismo e pela poeta Amy Lowell (1874-1925), estimularam a busca por uma forma artística comprometida com o regional. Assim, encarnando o paradoxo entre tradição e modernidade, a proposta moderno-regionalista parece refletir o lugar controverso de um Brasil plural.

Palavras-chave


Gilberto Freyre; Vanguardas anglo-americanas; Imagismo; Amy Lowell

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, R. B. de. 1994. Guerra e paz. Rio de Janeiro: Editora 34.

BRADSHAW, M. 2000. Modernizing Excess: Amy Lowell and the Aesthetics of Camp. Disponível

em: . Acesso em: março de 2004.

CANDIDO, A. 1962. Gilberto Freyre crítico literário. Gilberto Freyre: sua ciência, sua fi losofi a, sua arte. Rio de Janeiro: José Olympio. 120-4.

DIMAS, A. 2001. Gilberto Freyre e a crítica literária. O imperador das idéias: Gilberto Freyre em questão. Rio de Janeiro: Colégio do Brasil, UniverCidade, Fundação Roberto Marinho, Topbooks. 94-100.

FREYRE, G. 1948. O Camarada Whitman. São Paulo: José Olympio Editora.

FREYRE, G. 1962. Talvez Poesia. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora.

FREYRE, G. 1967. Nordeste. Rio de Janeiro: José Olympio.

FREYRE, G. 1975. Tempo Morto e Outros Tempos. Rio de Janeiro: José Olympio.

FREYRE, G. 1979. Tempo de Aprendiz. 1° vol. São Paulo: Ibrasa.

FREYRE, G. 1980. Poesia reunida. Recife: Pirata.

FREYRE, G. 1987. Vida, Forma e Cor. Rio de Janeiro: Record.

HIGH, P. B. 1986. An Outline of American Literature. London and New York: Longman.

INOJOSA, J. 1969. O movimento modernista em Pernambuco, 3 v. Rio de Janeiro: Gráfi ca Tupy.

INOJOSA, J. 1981. Sursum corda! Desfaz-se o “equívoco” do Manifesto Regionalista de 1926: foi redigido em 1952, escreve Gilberto Freyre. Rio de Janeiro: Graf. Olímpica Editora.

LOWELL, A. 1917. Aquarium. In: Man, Women, Ghosts (http://www.cwru.edu, acesso em março de 2004).

LOWELL, A. 1917. Tendencies in Modern American Poetry. New York: Macmillan Company.

MELO NETO, J. C. 1997. Serial e antes. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

NUNES, B. 1971. João Cabral de Melo Neto. Petrópolis: Vozes.

PAREYSON, L. 1997. Os Problemas da Estética. Trad.: Maria Helena Nery Garcez. São Paulo: Livraria Martins.

SPITZER, L. 1955. Lingüística e historia literaria. Madrid: Editorial Gredos. UNTERMEYER, L. (Ed). 1919. Modern American Poetry: A Critical Anthology. Ed. Louis Untermeyer. Copyright by Harcourt, Brace, and Company. Disponível em: . Acesso em: março de 2004.

ZACH, N. 1989. Imagismo e vorticismo. In: BRADBURY, M.; MCFARLANE, J. (Org). Modernismo: guia geral 1890-1930. Trad.: Denise Bottmann. São Paulo: Companhia das Letras.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2007v11p77

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Os artigos têm Identificador de Objeto Digital (DOI). 
 
Índice de Citações dos artigosGoogle Acadêmico

a) índice h1 - (>2016) - 11
b) índice i10 - (>2016) - 10

MIAR - ICDS (2021) - 6.3

Fale conosco