Leituras Modernas da Antiga Província: Nordestes, Gilberto Freyre e a Vanguarda Anglo-Americana

Silvana Moreli Vicente

Resumo


Pretendo abordar, em linhas gerais, como aspectos da vanguarda anglo-americana estiveram presentes no cenário cultural do Nordeste brasileiro na primeira metade do século XX. Tomando como referencial a obra do escritor Gilberto Freyre (1900-1987), veremos de que modo algumas das lições estéticas dos movimentos internacionais de vanguarda, especialmente representados pelo Imagismo e pela poeta Amy Lowell (1874-1925), estimularam a busca por uma forma artística comprometida com o regional. Assim, encarnando o paradoxo entre tradição e modernidade, a proposta moderno-regionalista parece refletir o lugar controverso de um Brasil plural. This article proposes to discuss how aspects of the Anglo-American vanguards developed in the cultural background of the Brazilian Northeast in the first half of the twentieth century. Discussing some topics concerning Gilberto Freyre’s work (1900-1987), it will be possible to observe how aesthetics lessons of the international vanguards, mainly represented by the Imagism and by the poet Amy Lowell (1874-1925), encouraged the search for an artistic form committed with the regional material. Thus, assuming the paradox between tradition and modernity, the modern-regionalist proposal seems to reflect the controversial place of a plural Brazil.


Palavras-chave


vanguardas anglo-americanas; Imagismo; Gilberto Freyre; Anglo-American vanguards; Imagism; Amy Lowell

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2007v11p77

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Fale conosco