Narrativa, Alteridade e Gênero: O Imaginário Patriarcal e os Arquétipos Literários

Paulo Sérgio Marques

Resumo


Por meio da tese de Humberto Maturana, sobre a existência de culturas matrísticas ou pré-patriarcais, e da divisão do imaginário em dois regimes, nas teorias de Gilbert Durand, procura-se demonstrar como se fixaram paradigmas na narrativa tradicionalmente elaborada pelo Ocidente patriarcal a partir da experiência antropológica dos gêneros. Por outro lado, à figuração do Outro corresponde, no mesmo sistema imaginário, os símbolos e imagens femininos do corpo, da morte e do caos. Para apoiar o argumento, recorre-se ainda a outros autores da crítica mítica e da abordagem antropológica, como E. M. Meletínski, M. Eliade, J. Campbell e E. Neumann.
PALAVRAS-CHAVE: . ABSTRACT: Through Humberto Maturana’s thesis about the matristic or pre-patriarchal cultures and also through the division of the imaginary in two systems in Gilbert Durand’s theories, we try to demonstrate the way paradigms became fixed in the narrative traditionally elaborated by the patriarchal Occident, starting from the anthropological experience of  gender. On the other hand, feminine symbols and images of  body, death and chaos correspond to the figuration of the Other inside the same imaginary system. In order to support this argument, we call forth some other authors on  mythical criticism and on anthropological approach, such as Meletínski, Eliade, Campbell and Neumann.
KEYWORDS: .

Palavras-chave


Teoria Literária; Narrativa; Gênero; Alteridade; Literary Theory; Narrative; Gender; Alterity

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2007v11p61

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Fale conosco