Gênero Clássico, processo moderno: o uso do paralelo por Charles Perrault

Roberta Andrade do Nascimento

Resumo


No Parallèle des Anciens et des Modernes Charles Perrault questiona a veneração cega de um passado que sacrificaria o tempo presente. Este texto em prosa é regido por uma dinâmica própria, ou seja, pelo movimento reflexivo, característico da reflexão desenvolvida pelos românticos alemães e da modernidade tal como se apresenta sobretudo na crítica de arte de Charles Baudelaire. O questionamento de Perrault implica, neste sentido, o reconhecimento da insuficiência da experiência anterior e a afirmação do tempo presente como novo valor.

In Parallèle des Anciens et des Modernes, Charles Perrault questions the blind adoration of a past that would sacrifice the present.  This prose text is governed by a proper dynamics, the reflexive movement, a way of thinking pushed forward by German romantic authors, and a feature of modernity that is particularly present in Baudelaire’s critique of art.  In such a context, this challenge implies the acknowledgement of insufficiency of the previous experience, and the assertion of the present as a new value.


Palavras-chave


Parallèle des Anciens et des Modernes; Charles Perrault; crítica; critique

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2007v9p35

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Os artigos têm Identificador de Objeto Digital (DOI). 
 
Índice de Citações dos artigosGoogle Acadêmico

a) índice h1 - (>2016) - 11
b) índice i10 - (>2016) - 10

MIAR - ICDS (2021) - 6.3

Fale conosco