As Imagens Materiais Primordiais da Infância

Raquel Trentin de Oliveira

Resumo


Este artigo reflete sobre as imagens materiais primordiais representadas em Infância (1945) de Graciliano Ramos, que duraram na memória do narrador e que repetidamente vêm à tona na sua narração. As dimensões afetivas da vida passada em Infância situam-se entre o real e o ideal: o ambiente fechado e a natureza livre; o canto e a janela/porta; a secura e a umidade/liquidez. Tal dinâmica revela uma personagem encarcerada em mundo áspero e opressor, todavia inclinada ao devaneio.

This article analyzes some prime material images occurring in Graciliano Ramos’ Infância(1945), which lasted in the narrator’s memory and which repeatedly come to the surface in his narration. The affectionate dimensions of life in Infância are located between the reality and the ideal: the closed atmosphere and the free nature; the song and the window/door; the dryness and the humidity/liquidity. Such a dynamic reveals a character imprisoned in a rough and oppressing world, but inclined to the daydream.


Palavras-chave


Infância; imagens primordiais; enclausuramento; devaneio; primordial images; imprisonment; daydream

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2007v9p28

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Os artigos têm Identificador de Objeto Digital (DOI). 
 
Índice de Citações dos artigosGoogle Acadêmico

a) índice h1 - (>2016) - 11
b) índice i10 - (>2016) - 10

MIAR - ICDS (2021) - 6.3

Fale conosco