Dialogia e Marcas de Oralidade em A Mulher que Escreveu a Bíblia de Moacyr Scliar

Rafaella Berto Pucca

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo demonstrar a presença de uma tradição oral, captada pela experiência, pela memória e por uma estilização do discurso escrito, dentro da literatura contemporânea, em especial no romance A mulher que escreveu a Bíblia de Moacyr Scliar. Para tanto, admitiremos como ponto de partida uma tentativa de conceitualização do objeto texto, concebendo-o como forma diretamente ligada ao universo sonoro (e, portanto, oral), e na seqüência, pretenderemos revelar as marcas de oralidade impressas não apenas na construção do discurso, como também na atualização de uma tradição que é pretendida na voz da narração. 

The present work wishes to demonstrate the presence of an oral tradition, captured by the experience, memory and for a stylization of the speech written, inside the contemporary literature, especially in the novel A mulher que escreveu a Bíblia by Moacyr Scliar. With this purpose, we will admit as starting point, an attempt of concept, conceiving it as a form directly linked to the sound universe (and therefore, oral) and in the sequence, we will try to reveal the orallity marks not only in the construction of the speech, but also in the updating of a tradition that is intended in the voice of the narration.


Palavras-chave


romance; oralidade; atualização; tradição; novel, orallity; updating; tradition

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2006v7p2

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Os artigos têm Identificador de Objeto Digital (DOI). 
 
Índice de Citações dos artigosGoogle Acadêmico

a) índice h1 - (>2016) - 11
b) índice i10 - (>2016) - 10

MIAR - ICDS (2021) - 6.3

Fale conosco