Machado: três momentos negros

Gizêlda Melo do Nascimento

Resumo


O negro na obra de Machado de Assis e o tratamento elíptico dispensado a esses personagens. A lógica das representações sociais contraposta, estrategicamente, à técnica narrativa da exposição e saturação do vazio. Exibindo o negro como um ser por subtração, expõe, pelo avesso, sua descrença quanto à inserção deste segmento numa ordem social reconhecida, numa relação igual. Sob este aspecto, seus textos constituem convite para uma leitura das lacunas/pistas deixadas ao longo de sua produção literária.

Palavras-chave


Machado de Assis; Personagem negro; Vazios do texto

Texto completo:

PDF

Referências


ASSIS, M. de. Balas de estalo. 30 de novembro de 1885.

ASSIS, M. de. Obra Completa. 3 vols. Rio de Janeiro: Aguilar, 1985.

FAORO, R. Machado de Assis: a pirâmide e o trapézio. 3 ed. Rio de Janeiro:

Globo, 1988.

GLEDSON, J. Machado de Assis: Ficção e história. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2002v2p53

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Os artigos têm Identificador de Objeto Digital (DOI). 
 
Índice de Citações dos artigosGoogle Acadêmico

a) índice h1 - (>2016) - 11
b) índice i10 - (>2016) - 14

MIAR - ICDS (2021) - 6.3

Fale conosco