Socioeducação e juventude: reflexões sobre a educação de adolescentes e jovens para a vida em liberdade

Silmara Carneiro e Silva

Resumo


O presente artigo tem por objetivo refletir sobre a juventude na sua relação com o fenômeno da violência e o cometimento de atos infracionais, apontando a política pública de socioeducação como uma alternativa de educação de adolescentes e jovens para a vida em liberdade. A metodologia utilizada foi a pesquisa bibliográfica, com base em autores da área de  ciências sociais aplicadas. A socioeducação é vista como uma política pública  que tem por objetivo construir, junto dos adolescentes e jovens, novos e apropriados conceitos de vida, buscando o fortalecimento dos princípios éticos da vida social. Para tanto, no presente artigo parte-se do pressuposto que a socioeducação é uma política que tem como proposta a educação para a vida em liberdade, verificando-se com a discussão teórica realizada que, para a referida política se efetivar como tal, faz-se necessária a construção de meios para a efetivação de ações que se configurem para além do sentido da responsabilização do adolescente pelo ato infracional, pois sua natureza pedagógica e social deve ser o pressuposto básico de todas as práticas socioeducativas. Enquanto política pública deve se efetivar em conjunto com a família, com a comunidade e com a sociedade em geral, mas sem desresponsabilizar o Estado brasileiro pela condução e direção da referida política no âmbito da sociedade contemporânea, uma vez que as condições materiais e concretas para a construção das possibilidades de liberdade devem ser providas ao adolescente, como condição para seu desenvolvimento pessoal e social enquanto sujeito de direitos.

 


Palavras-chave


Socioeducação. Juventude. Liberdade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-4842.2012v14n2p96



Serviço Social em Revista

E-ISSN: 1679-4842

E-mail: ssrevista@uel.br