A ambiência compondo a moradia adequada para idosos de baixa renda

Luzia Cristina Antoniossi Monteiro, Vania Aparecida Gurian Varoto, Nayara Mendes Silva, Aldora Eugênia Freire

Resumo


O Brasil enfrenta desafios com o aumento no número de idosos. Frente a esta situação, aumentam as demandas pelo direito à cidade, impactando a gestão pública e a sociedade. O envelhecimento populacional e o desenvolvimento urbano são processos distintos, heterogêneos e igualmente complexos. Atrelado ao direito à cidade, sobressai a questão da moradia, que, embora a Constituição Federal estabeleça como um direito fundamental, o idoso de baixa renda tem dificuldade para alcançá-la. Morar de forma digna perpassa condições objetivas e alcança aspectos subjetivos, preponderantes na preservação da identidade, no sentido de pertencimento ao lugar, significado da ambiência. Esse artigo analisa a ambiência na formação da moradia digna em um condomínio exclusivo para idosos de baixa renda. Com a longevidade eleva-se a demanda por moradia, pois aumenta número de idosos morando sozinhos - desafio para as políticas públicas que necessitam repensar lugares que promovam a participação na sociedade e a qualidade de vida no cenário urbano.

Palavras-chave


Moradia Digna; Ambiência; Políticas Públicas; Envelhecimento; Saúde.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-4842.2017v20n1p175

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Serviço Social em Revista

E-ISSN: 1679-4842

E-mail: ssrevista@uel.br