Condições socioeconômicas e saúde das famílias portadoras de anemia falciforme

Izete Soares da Silva Dantas Pereira, João Dantas Pereira, Brenda Jessica de Oliveira Cirne

Resumo


A anemia falciforme é doença hereditária caracterizada pela alteração dos glóbulos vermelhos do sangue, tornando-os parecidos com uma meia lua. A pesquisa teve como objetivo mostrar as condiçoes socioeconômicas das famílias com doença falciforme moradoras na comunidade quilombola Negros do Riacho, no município de Currais Novos, Rio Grande do Norte. Adotou-se uma abordagem qualiquantitativa. Os dados foram coletados através de entrevistas semiestruturadas realizadas no domicílio dos participantes, após a assinatura do TCLE. Os resultados mostraram que a proporção de mulheres é maior. Aqueles que se situam entre os 26 e os 35 anos somam 38,8%. A maioria é casada, possui o ensino fundamental e ganha até um salário mínimo. A água consumida não recebe qualquer tratamento.É oriunda exclusivamente de poço. Por não existir coleta pública de lixo, o depósito é feito a céu aberto e apenas 5,6% incinerado. Apenas 11,2% dos doentes já fizeram ou fazem algum tipo de tratamento. Conclui-se que há relação entre as condições socioeconômicas e a incidência e prevalência da anemia falciforme. Sugerem-se apoio financeiro e logístico para o desenvolvimento de estudos/diagnósticos nessa comunidade, alertando as autoridades para que intervenham de forma contínua e sistemática na prevenção, tratamento e controle de anemia falciforme.

Palavras-chave


Doença falciforme; Portador, Condições socioeconômicas, Tratamento, Controle da anemia falciforme

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-4842.2017v20n1p119

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Serviço Social em Revista

E-ISSN: 1679-4842

E-mail: ssrevista@uel.br