Unidades de Atendimento de adolescentes em conflito com a Lei: Reflexos da violação dos direitos humanos

Lindamar Alves Faermann, Rivanil Rubens Nogueira

Resumo


Este artigo traz reflexões sobre o atendimento socioeducativo de adolescentes em Instituições que executam medidas de internação. Após mais de duas décadas de implantação do Estatuto da Criança e do Adolescente no Brasil, ainda se convive com reiteradas violações dos direitos das crianças e dos adolescentes, revelando a indiferença quanto aos princípios da proteção integral expressa na legislação. Da diversificada origem e natureza das violações constatadas, a tarefa de enfrentá-las requer esforço coletivo, mudanças estruturais, políticas públicas e propostas pedagógicas eficazes. Nessa direção, indica-se a pedagogia Makarenkiana como uma proposta fecunda para o trabalho com os adolescentes em conflito com a lei, visto se tratar de uma pedagogia que possibilita a formação de um homem novo, pautada no coletivo e no civismo.  


Palavras-chave


Unidades de Atendimento socioeducativo; Medida de Internação; Adolescentes em conflito com a lei; Pedagogia Makarenkiana.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-4842.2017v19n2p23

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Serviço Social em Revista

E-ISSN: 1679-4842

E-mail: ssrevista@uel.br