O trabalho do assistente social nos centros de atenção psicossocial – CAPS’s do município de Belém/PA:contribuições para o tratamento da saúde mental dos usuários

Carolina Flexa da Silva, Vera Lúcia Batista Gomes

Resumo


Este artigo objetiva apresentar as contribuições do trabalho do assistente social para o tratamento da saúde mental dos usuários dos Centros de Atenção Psicossocial. Os CAPS se configuram a partir dos anos 1990 como um novo espaço sócio-ocupacional na área da saúde mental para o assistente social decorrente da substituição dos serviços manicomiais. Os dados apresentados decorrem de uma pesquisa na qual três assistentes sociais participaram de uma entrevista semiestruturada, conduzida a partir de um roteiro pré-elaborado. Como procedimento metodológico optou-se pela abordagem qualitativa à luz da teoria marxista. Os resultados da pesquisa revelaram que trabalho profissional do assistente social nessa área envolve saberes específicos da área de Serviço Social em interlocução com os saberes de outros profissionais e possibilitam responder demandas trazidas pelos usuários dos CAPS quanto àquelas identificadas por esse profissional. A articulação com a rede de serviços favorece à resolutividade das situações que envolvem o processo saúde-doença dos referidos usuários, para além do tratamento em saúde mental, repercutindo diretamente na melhoria das condições de vida dos mesmos, em que pese às dificuldades enfrentadas na operacionalização da Política de Saúde mental devido às manobras idealizadas pelo grande capital e operadas pelo Estado de cunho neoliberal.


Palavras-chave


CAPS;Trabalho profissional do Assistente Social;Estado;Saúde mental

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-4842.2016v19n1p84

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Serviço Social em Revista

ISSN: 1679-4842

E-mail: ssrevista@uel.br