O direito à convivência familiar e comunitária de crianças e adolescentes: construção histórica no Brasil

Antônia Gomes Furtado, Klênia Souza Barbosa de Morais, Raffaella Canini

Resumo


O trabalho é um estudo teórico sobre a construção legal do direito à convivência familiar e comunitária de crianças e adolescentes. A legislação vigente reconhece que a família é o lugar privilegiado para o desenvolvimento de crianças e adolescentes, sujeitos de direitos, com prioridade absoluta, exigindo um Estado presente, que invista na manutenção dos vínculos familiares. O texto tece considerações conceituais e legais sobre família, convivência familiar e comunitária. Conclui-se que esses dispositivos legais são insuficientes para a efetivação do direito, imprescindível a ação do Estado através de políticas públicas que garantam saúde, educação, trabalho, entre outros, atendendo as reais demandas dos sujeitos envolvidos.


Palavras-chave


Crianças e adolescentes;Acolhimento institucional;Convivência familiar e comunitária;Políticas públicas

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-4842.2016v19n1p131

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Serviço Social em Revista

ISSN: 1679-4842

E-mail: ssrevista@uel.br