A crítica da loucura e a práxis poética da necessidade existencial: estudo de caso da Ong Inverso

Vicente de Paula Faleiros, Thiago Petra da Motta Campos

Resumo


Neste texto, discute-se a relação entre a expressão da pessoa considerada louca, no contexto da sociedade e da intersubjetividade, na dinâmica da ONG Inverso (Instituto de Convivência e Recriação do Espaço Social em Saúde Mental). A poética da intervenção articula o instituído ao instituinte das relações do coletivo na sociedade. O objetivo é analisar as segregações da loucura e do louco e o processo emancipatório da crítica e da prática poética com pessoas que frequentam o espaço da ONG, junto com a revisão da literatura correspondente, com reflexão crítica da experiência da Inverso como processo inverso ao modelo manicomial. A metodologia deste trabalho foi construída a partir de uma reflexão sobre saúde mental, loucura e cultura, e da observação direta do cotidiano da ONG Inverso, por 10 anos, como processo instituinte. O principal resultado desse processo foi a evidência de condições possíveis para a efetivação de um paradigma antimanicomial de inclusão, cidadania, singularidade na promoção da saúde mental

Palavras-chave


Antimanicomial. Poética da expressão. Loucura e singularidade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-4842.2016v18n2p111

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Serviço Social em Revista

E-ISSN: 1679-4842

E-mail: ssrevista@uel.br