Alinhamentos de governação e a situação de sem-abrigo em Portugal: Perigos e insuficiências da orientação para/pelo mercado

Sónia Mairos Ferreira

Resumo


No presente artigo analisam-se, criticamente, as implicações da implementação de um estilo governativo orientado pelo e para o mercado, e de matriz reflexiva, no que respeita à problemática da situação de sem-abrigo. Para este efeito exploram-se, num primeiro momento, as componentes chave deste alinhamento na UE, apontando-se as suas intencionalidades e efeitos (in)diretos, particularmente no que concerne as políticas e práticas de conceitualização e intervenção neste domínio. O ponto seguinte é devotado à reflexão crítica sobre as especificidades do caso Português, elencando-se as prioridades manifestas e apontando, com base em referentes ilustrativos múltiplos, as incongruências e insuficiências de maior relevo.


Palavras-chave


políticas públicas, intervenção social,

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-4842.2015v17n2p05



Serviço Social em Revista

E-ISSN: 1679-4842

E-mail: ssrevista@uel.br