Política de Assistência Social: as direções da matricialidade sociofamiliar e do trabalho social com famílias

Izabel Hérika Matias Cronemberger, Solange Maria Teixeira

Resumo


A família tem sido tomada como referência nas políticas sociais, em especial na de assistência social, o que tem reatualizado as demandas e expectativas em relação ao trabalho social dirigido a elas. Todavia, a direção dessa inserção da família na política pode se apresentar bastante variada e tensionada entre projetos familista, que a toma como um canal natural de proteção social a ser acionado pelas políticas sociais; o protetivo, fundado na proteção social pública, ou ainda um terceiro que conjuga e interrelaciona os dois projetos. O objetivo desse artigo é problematizar as diferentes direções da matricialidade sociofamiliar na política de assistência social e suas repercussões no trabalho social.


Palavras-chave


Política de Assistência Social, Trabalho Social, Família

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-4842.2014v16n2p97



Serviço Social em Revista

E-ISSN: 1679-4842

E-mail: ssrevista@uel.br