O Benefício de Prestação Continuada para usuários em tratamento hemodialítico

Nathalia Maria Barbosa, Raquel Cavalcante Soares, Ilka Aquino de Oliveira Perusso

Resumo


Resumo:                             

Os usuários com Doença Renal Crônica – DRC ao iniciarem o tratamento hemodialítico, em sua maioria, afastam-se do trabalho por diversos fatores que envolvem o tratamento e o mundo do trabalho. Essa situação pode ser considerada um agravante para aqueles que não são segurados da previdência social, e por isso, sem direitos que garantam a manutenção da sua renda enquanto estiverem em terapia hemodialítica. Para esses desprotegidos da previdência social, só lhes restam a assistência social, especificamente o Benefício de Prestação Continuada -  BPC, como o único meio possível de acesso à renda. Contudo, ao acessar o BPC confrontam-se com algumas contradições da política de assistência social, a exemplo a focalização do benefício na pobreza extrema. Partindo desse pressuposto, o presente artigo objetiva analisar as contradições e possíveis dificuldades, no acesso a este benefício pelos usuários em hemodiálise no HC/UFPE e sua importância para reprodução social desses. Para isso, foi realizada uma pesquisa qualitativa fundamentada pela teoria social crítica Marxiana, por meio de levantamento bibliográfico e pesquisa de campo. Os resultados da pesquisa evidenciam a impossibilidade dos usuários em manterem-se no trabalho e as dificuldades no acesso ao BPC, e revelam a importância do beneficio para o suprimento das necessidades básicas dos usuários e de suas famílias.

 


Palavras-chave


Hemodiálise. Benefício. Assistência social.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-4842.2014v17n1p135



Serviço Social em Revista

E-ISSN: 1679-4842

E-mail: ssrevista@uel.br