A história oral das revoltas do Centro de Socioeducação de Londrina II: uma interpretação teórico-filosófica

Ítalo Leandro Silva, Olegna de Souza Guedes

Resumo


Este artigo realiza uma interpretação teórico-filosófica sobre a trajetória de uma instituição disciplinar, denominada de Centro de Socioeducação de Londrina II, destinada à aplicação de medidas socioeducativas de privação de liberdade. Apresenta os resultados de uma pesquisa qualitativa fundada nos métodos da História Oral e realizada junto aos protagonistas desta história, que é marcada pela violência das revoltas e pelos esforços empregados para conte-las. A revolta é interpretada como fruto da des-razão, como sublevação de forças e como resultado da insegurança geral na instituição que a levou a uma situação de guerra de todos contra todos. Vários são os elementos que colaboram para a manutenção do clima de “calmaria” pelo qual a instituição passa atualmente.

Palavras-chave


História Oral; Revolta; Medo; Violência; Medidas Socioeducativas

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-4842.2011v14n1p48



Serviço Social em Revista

E-ISSN: 1679-4842

E-mail: ssrevista@uel.br