Estudo das atividades de trabalho remuneradas desenvolvidas por detentos: o caso da penitenciária estadual de Maringá

Maria Iolanda Sachuk, Alfredo Lopes da Costa Moreira Neto

Resumo


A questão carcerária sempre fez parte da pauta de discussão nos mais diversos segmentos da sociedade. No Brasil, uma das conseqüências mais graves desse problema é o alto índice de criminalidade observado diariamente. O presente artigo tem por objetivo identificar as atividades de trabalho remuneradas desenvolvidas pelos detentos na Penitenciária Estadual de Maringá - PEM e revelar se, na concepção dos presos e da direção da PEM, estas atividades coadunam com os objetivos prescritos no artigo 28 da Lei de Execução Penal, Lei nº. 7210, de 11 de julho de 1984. Os dados mostram que a PEM está em sintonia com o que a sociedade idealizou para esse tipo de instituição na atualidade: ao mesmo tempo em que existe o exercício do controle e da dominação, há também um discurso que tem como proposta a possibilidade de ressocialização do preso.

Palavras-chave


Instituições Totais; Lei de Execução Penal; Presídios. Trabalho.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-4842.2009v12n1p157



Serviço Social em Revista

E-ISSN: 1679-4842

E-mail: ssrevista@uel.br