Tabus linguísticos nas designações referentes ao corpo humano, na Ilha dos Valadares, Paranaguá-PR

Cláudia Sales de Oliveira

Resumo


Este trabalho tem por objetivo desenvolver uma reflexão sobre tabus linguísticos, envolvendo o corpo humano – partes do corpo e fluidos corporais -seios/peito, pênis, vagina, urina, menstruação, cheiro nas axilas, meleca/tatu. O estudo fundamentou-se na concepção de tabu estabelecida por Guérios (1956), Ullman (1977) e Kröll (1984). O estudo foi baseado em 50 questões do Questionário Semântico-Lexical do Projeto ALIB (2001) e cinco elaboradas especificamente para este estudo, aplicadas para o Estudo da Variação Lexical do Português Falado na Ilha dos Valadares, Paranaguá-PR. Para o levantamento dos dados, foram selecionados 28 informantes oriundos de cinco bairros da Ilha: Vila Nova, Vila Bela, Sete de Setembro, Rocio e Itiberê, de ambos os sexos, divididos em três faixas etárias (FE1-18-25; FE2-30-50; FE3-+55) e três níveis de escolarização (não-escolarizado-NE, 5 e 8 anos de escolarização-E1/E2). De acordo com os resultados, além de diferentes estratégias de substituição do termo tabuizado (eufemismos e disfemismos), os informantes manifestavam reações várias para livrar-se do constrangimento, como risos, seriedade, recusa da resposta, reprovação, silêncio.

 

Palavras-Chave: Variação Lexical. Tabu Linguístico, Corpo Humano.


Palavras-chave


Diatetologia; Sociolinguística

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-4876.2011v14n2p457



Signum: Estudos da Linguagem
Telefone: (43) 3371-4428
E-mail: signum@uel.br
ISSN: 2237-4876