A Formação do Leitor: entre textos e hipertextos

Regina L. Péret Dell’Isola

Resumo


Este artigo é um convite para uma reflexão sobre a leitura na sociedade brasileira. Esse tema vincula-se a uma série de avanços tecnológicos que potencializam inúmeras mudanças em relação à forma com que as pessoas lêem o mundo. Ao serem considerados o texto impresso, as novas tecnologias e a geração de inferência durante  leitura de textos e hipertextos, coloca-se em foco a importância da formação do leitor e o problema da falta de letramento da população. A maior preocupação concentra-se nos brasileiros que, apesar de alfabetizados, não são letrados. Apesar do decréscimo de analfabetismo no país, ainda é grande a quantidade de analfabetos funcionais – pessoas que aprenderam a ler, escrever e fazer contas, mas não conseguem usar isso no dia-a-dia. Os livros assim como os computadores são invenções tecnológicas e nossos alunos devem ser preparados para ler essas unidades de significação que instauram um espaço de interlocução. Constata-se que é preciso investir na qualidade da leitura dos nossos alunos. Neste trabalho, defende-se a idéia de que o estímulo à produção de inferências durante a leitura, tanto de textos quanto de hipertextos, é o melhor investimento para o Brasil se tornar uma nação letrada.  

 


Palavras-chave


Leitura; Inferência; Formação do Leitor; Letramento; Texto; Hipertexto.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-4876.2003v6n1p87



Signum: Estudos da Linguagem
Telefone: (43) 3371-4428
E-mail: signum@uel.br
ISSN: 2237-4876