O objeto direto nulo no Português Brasileiro

Sonia Maria Lazzarini Cyrino

Resumo


No português brasileiro (doravante, PB), muito se tem falado sobre o objeto direto nulo. A ocorrência do objeto indireto nulo, porém, não tem sido estudada - a alta incidência desses elementos no PB, no entanto, foi levantada em Dillinger et al. (1996). Nesse estudo, os autores também colocam a questão do estatuto sintático de “complemento” do objeto indireto, seguindo Dillinger (1991) e Perini (1989), que “salientam a dificuldade de se distinguir (por meios estruturais) entre objeto indireto (PP complemento) e adjuntos adverbiais preposicionados” (Dillinger et al., 1996: 317) e levantam a hipótese de que essa distinção tradicional seja de natureza não-sintática.

Palavras-chave


Português Brasileiro; Objeto Direto Nulo; Sintaxe.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-4876.1998v1n1p35



Signum: Estudos da Linguagem
Telefone: (43) 3371-4428
E-mail: signum@uel.br
ISSN: 2237-4876