A geografia sentimental do Bar do Ponto

Edina Regina Pugas Panichi

Resumo


Na obra de Pedro Nava, as representações do espaço são de fundamental importância. Fascinado pelos lugares onde viveu, morou ou freqüentou, retratava esses espaços em desenhos e plantas como se fosse um profissional da arquitetura registrando, literariamente, a geografia de sua cidade. Em Beíra-Mar, o quarto volume de suas memórias, as ações se passam em sua querida Belo Horizonte. Apesar do título sugerir a cidade do Rio de Janeiro, Nava, a essas alturas de seus relatos, ainda não chegara lá. O título foi uma sugestão de Lúcio Costa que numa conversa com o autor questionou se ele chegaria ao Rio no livro que estava escrevendo. Diante da afirmativa, sentencia: Então vai se chamar Beira-Mar.

 


Palavras-chave


Geografia sentimental; Representações.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-4876.2000v3n1p41



Signum: Estudos da Linguagem
Telefone: (43) 3371-4428
E-mail: signum@uel.br
ISSN: 2237-4876