A Argumentação e a Análise Linguística nas Aulas de Inglês como Língua Estrangeira: estudo de caso de uma atividade para aprendizes iniciantes de língua inglesa

Thiago Magno de Carvalho Costa, Erivaldo Pereira do Nascimento, José Wellisten Abreu de Souza

Resumo


A busca por um procedimento metodológico que possibilite ao aprendiz de língua inglesa lidar com as estruturas no contexto de interação tem sido meta preconizada pelos PCN de língua estrangeira (1998). Assim, objetiva-se neste artigo apresentar uma análise sobre a possibilidade de se trabalhar exercícios com gêneros textuais, considerando as duas concepções de argumentação: a retórica e a linguística. Para tanto, como fundamentação teórica, associamos a proposta de Ducrot (1987; 1988), com ênfase para os postulados da Teoria de Argumentação na Língua, e a perspectiva de Análise Linguística, de Geraldi (1984; 1997). Nesse contexto, compreende-se o Livro Didático de língua inglesa como importante corpus de análise, visto que, a partir da atividade selecionada, é possível fazer análise de natureza qualitativa, de base descritiva e com caráter propositivo. Verifica-se que o ensino na perspectiva dos gêneros textuais/discursivos proporciona ao estudante o contato com variados textos, os quais de fato circulam na sociedade. Em suma, a análise reflexiva proposta e as sugestões de ampliação visam contribuir com os estudos e as pesquisas da Semântica Argumentativa, a partir da abordagem de procedimentos que auxiliam o trabalho do professor de inglês como língua estrangeira.

Palavras-chave


Análise Linguística; Ensino de Inglês; Argumentação.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


ALMEIDA, L. de. Análise semântica de operadores argumentativos em textos publicitários. 2001. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do Ensino Fundamental: língua estrangeira. Brasília: MEC; SEF, 1998.

CABRAL, A. L. T. A força das palavras: dizer e argumentar. São Paulo: Contexto, 2010.

CASTILHO, A. T. de. Nova gramática do português brasileiro. 1. reimp. São Paulo: Contexto, 2010.

CHOPPIN, A. História dos livros e das edições didáticas: sobre o estado da arte. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 30, n. 3, p. 549-566, set./dez. 2004. Disponível em: https://bit.ly/2EDSCbb. Acesso em: 15 dez. 2015.

CORBARI, A. T.; RAMOS, Q. C. M. Verbos dicendi na notícia: pontos de um continuum argumentativo na construção da intertextualidade. Fórum Linguístico, Florianópolis, v. 15, n. 1, p. 2903-2923, jan./mar. 2018. Disponível em: https://bit.ly/2CVzqnx. Acesso em: 17 ago. 2018.

DUCROT, O. Provar e dizer: linguagem e lógica. São Paulo: Global, 1981.

DUCROT, O. Esboço de uma teoria polifônica da enunciação. In: DUCROT, O. O dizer e o dito. Campinas: Pontes, 1987. p. 161-218.

DUCROT, O. Polifonia y argumentación: conferencias del seminario Teoría de la Argumentación y Análisis del Discurso. Cali: Universidad del Valle, 1988.

FRANCHI, C. Linguagem – atividade constitutiva. In: FRANCHI, C. Linguagem: atividade constitutiva: teoria e poesia. São Paulo: Parábola, 2001 [1977]. p. 33-74.

GERALDI, J. W. O texto na sala de aula: leitura e produção. 3. ed. Cascavel: Assoeste, 1984.

GERALDI, J. W. Portos de passagem. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

KOCH, I. G. V. A inter-ação pela linguagem. 5. ed. São Paulo: Contexto, 2000.

KOCH, I. G. V. Argumentação e linguagem. 13. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

KONAR, N. Communication skills for professionals. Nova Deli: PHI Learning Private Limited, 2009.

MELO, J. M. de. A opinião no jornalismo brasileiro. 3. ed. rev. Campos do Jordão: Mantiqueira, 2003.

MENDONÇA, M. Análise Lingüística no Ensino Médio: um novo olhar, um outro objeto. In: BUNZEN, C.; MENDONÇA, M. (Org.). Português no ensino médio e formação do professor. São Paulo: Parábola Editorial, 2006. p. 199-226.

MOURA, H. M. de M. Significação e contexto: uma introdução a questões de semântica e pragmática. 3. ed. Florianópolis: Insular, 2006.

NASCIMENTO, E. P. do. Jogando com as vozes do outro: argumentação na notícia jornalística. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, 2009.

NASCIMENTO, E. P. do. A modalização no ensino de língua: contribuições para os processos de leitura, análise linguística e produção textual. In: JORNADA NACIONAL DO GRUPO DE ESTUDOS LINGUÍSTICOS DO NORDESTE, 24., 2012, Natal. Anais... Natal: EDUFRN, 2012. p. 1-13.

NASCIMENTO, E. P. do; SILVA, J. M. da. O fenômeno da modalização. In: NASCIMENTO, E. P. do (Org.). A argumentação na redação comercial e oficial: estratégias semântico-discursivas em gêneros formulaicos. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, 2012. p. 63-100.

NASCIMENTO, E. P. do; SILVA, R. F. da. O secretariado e a produção textual: a argumentação no gênero declaração. Revista de Gestão e Secretariado, v. 2, n. 2, São Paulo, p. 145-169, 2011.

OXEDEN, C.; LATHAM-KOENIG, C. New English File – Upper Intermediate. Oxford University Press, 2010.

OXEDEN, C.; LATHAM-KOENIG, C.; SELIGSON, P. New English File – Elementary. Oxford University Press, 2010.

PERELMAN, C. O império retórico: retórica e argumentação. 2. ed. Lisboa: Asa, 1999.

SILVA, J. M. da. Modo, modalidade, modalização: autonomia semântico-discusiva em expressões verbais. Revista Prolíngua, v. 7, n. 2, p. 41-58, 2012.

SOUSA, S. C. T. de; SOARES, M. E. O ensino/aprendizagem de língua estrangeira: uma análise à luz das memórias discursivas dos alunos de Letras. Revista de Letras, n. 31, v. 1/2, p. 87-92, jan./dez. 2012. Disponível em: https://bit.ly/2PcgxT1. Acesso em: 17 ago. 2018.

TRAVAGLIA, L. C. Na trilha da gramática: conhecimento linguístico na alfabetização e letramento. São Paulo: Cortez, 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-4876.2018v21n2p199

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Signum: Estudos da Linguagem
Telefone: (43) 3371-4428
E-mail: signum@uel.br
ISSN: 2237-4876