Ensaio: da história às características do gênero na esfera literária

Neluana Leuz de Oliveira Ferragini

Resumo


O gênero ensaio corresponde a uma modalidade discursiva com contornos maleáveis que pode circular em diferenciadas esferas da comunicação humana. No domínio literário, o ensaio combina conceitos e juízos, figuras e metáforas, críticas e análises. Trata-se de uma reflexão discursiva, cultivada por um processo de subjetivação artística cujo produto resulta em profunda contemplação de um tema e/ou análise de uma obra, período, estilo. Não obstante seja reconhecido como gênero argumentativo, ao ensaio como produção literária não se destinam maiores e mais detalhados estudos quanto às suas características. Dessa forma, a presente abordagem, propõe-se a apresentar uma categorização para o gênero, ancorada na perspectiva baktiniana de gêneros discursivos, ao observar as marcas linguístico-enunciativas, condições de produção, conteúdo temático e construção composicional. Para empreender a compilação de corpus para análise, deriva-se, metodologicamente, das seguintes etapas: i) investigação de textos-enunciados/obras que se intitulassem ensaio (s) e/ou abordassem o enunciado ensaio; ii) diagnóstico e apreciação do material; iii) seleção e estudo de textos representativos do gênero; iv) organização das características do ensaio na esfera literária. Nessa perspectiva, discorre-se sobre a genealogia do ensaio e apresenta-se uma organização para as regularidades e instabilidades do gênero a partir dos textos-enunciados analisados.

Palavras-chave


Gêneros Discursivos; Ensaio Literário; Categorização

Referências


ADORNO, Theodor W. O ensaio como forma. In: ADORNO, Theodor W. Notas de Literatura. Tradução e apresentação de Jorge M. B. de Almeida. São Paulo: Duas Cidades; Ed. 34, 2008, 2ª. reimpressão.

ÁVILA, Yildret Del Carmen Rodríguez. El ensayo académico: algunos apuntos para sustudio. Sapiens: Revista Universitária de Investigación. Caracas, Venezuela, Ano 8, n. 1, 147-159, junio, 2007. Disponível em:. Acesso em: 09 abr. 2010.

BAKHTIN, Mikhail Mikhailovitch. Estética da criação verbal. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BAKHTIN, Mikhail Mikhailovitch; VOLOCHINOV, Valentin Nikolaevich. Marxismo e filosofia da linguagem. 11. ed. São Paulo: Hucitec, 2004.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1998.BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: língua portuguesa: primeiro e segundo ciclos. Brasília: MEC/SEF, 1997.

______. Parâmetros Curriculares Nacionais: língua portuguesa: terceiro e quarto ciclos. Brasília: MEC/SEF, 1998.

CANDIDO, Antonio. Literatura e Sociedade: estudos de teoria e história literária. 6ª Ed. São Paulo: Ed. Nacional, 1980.

CRUZ, María Elena Arenas. Hacia uma teoria general del ensayo: Construcción del texto ensayístico. Cuenca: Ediciones de la Universid de Castilla – La manha, 1997.

EULALIO, Alexandre. O ensaio literário no Brasil. In: EULALIO, Alexandre; WLADMAN, Berta; DANTAS, Luiz. (orgs.). Escritos. Campinas, SP: Editora da UNICAMP; São Paulo: Editora UNESP, 1992.

GAIO, André Moysés. Modernismo e Ensaio Histórico. São Paulo: Cortez, 2004.

GALÁN, Pedro Cerezo. El espíritu del ensayo. In: GALÁN, Pedro Cerezo et. aL. El ensayo: entre la filosofia y la literatura. Editorial Comares, Granada, 2002, p. 1 – 32.

GERALDO, José. Ensaios literários. Thesaurus, Brasília, 2005.

GUAL, García. Ensayando el ensayo: Plutarco como precursor. In: Revista de Occidente, n. 116, 1991, p. 25-26.

GUERINI, Andréia. A teoria do ensaio: reflexões sobre uma ausência. In: Anuário de Literatura 8. 2000. p. 11-27.

HARO, Pedro Aullón de. Teoría Del Ensayo. 2ed. Madrid: Editorial Verbum, 1992.

LAGO JR., Sylvio. O ofício do ensaísta. In: Logos: comunicação e universidade. – Vol. 1, n.1. Rio de Janeiro: UERJ, Faculdade de Comunicação Social, 1990.

LEMINSKI, Paulo. Ensaios e anseios crípticos. 2 ed. ampliada. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2012.

LIMA, Sílvio. Ensaio sobre a essência do ensaio. 2 ed. Armênio Amado Editor, Suc. – Coimbra, 1964.

MARTÍNEZ, Gustavo Bueno. Sobre el concepto de ensayo. In: El Padre Feijóo y susiglo. Ponencias y comunicaciones presentadas AL Simposio celebrado em la Universidade de Oviedo del 28 de septiembre AL 5 de octubre de 1964. Oviedo 1966, tomo 1, páginas 89-112. Acesso em 23 mai 2013. Disponível em: http://www.filosofia.org/aut/gbm/1964ensa.htm

MEYER, Augusto. Ensaios escolhidos. Seleção e prefácio de Alberto da Costa e Silva. 3 ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2009.

_____. A forma secreta. 4. ed. Livraria Francisco Alves Editora S. A., 1965.

MOISÉS, Massaud. O Ensaio. In: MOISÉS, Massaud. A Criação Literária: Prosa II. 20ª ed. São Paulo: Cultrix, 2007, p.69 -100.

MONTAIGNE, Michel Eyquem de. Ensaios. Tradução de Sérgio Milliet. 2 ed. São Paulo: Abril Cultural, 1980. Coleção Os Pensadores.

PARANÁ. Diretrizes Curriculares da Educação Básica – Língua Portuguesa. Curitiba: SEED/DEB, 2008.

PERFEITO, Alba Maria.  Concepções de Linguagem, Teorias Subjacentes e Ensino de Língua Portuguesa. In: Concepções de linguagem e Ensino de Língua Portuguesa. (Formação de professores EAD 18). V. 1, Ed. 1. Maringá: EDUEM, 2005, p. 27-75.

PORTELLA, Eduardo M. O ensaio. Conferência disponibilizada no sítio da Academia Brasileira de Letras, 2000. Disponível em: . Acesso em 27 out. 2013.

PROENÇA FILHO, Domício. Estilos de época na literatura: através de textos comentados. 9 ed. São Paulo: Ática, 1985.

ROJO, Roxane. Gêneros do discurso e gêneros textuais: questões teóricas e aplicadas. In: MEURER, J. L.; BONINI, A.; MOTTA-ROTH, D. (Org.).Gêneros: teorias, métodos, debates. São Paulo: Parábola, 2005. p. 184-293.

SARAIVA, António; LOPES, Óscar. História da Literatura Portuguesa. 12ª. Ed. Porto Editora, 1997.

SOARES, Angelica. Gêneros Literários. 6ª. Ed. São Paulo: Ática, 2006.

TODOROV. Tzvetan. Os gêneros do discurso. Tradução Elisa Angotti Kossovich. São Paulo: Martins Fontes, 1980.

VELLINHO, Moysés. Ensaios literários Moysés Vellinho. Org. Carlos Alexandre Baumgarten. Porto Alegre: Instituto Estadual do Livro: CORAG, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-4876.2018v21n3p288

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Signum: Estudos da Linguagem
Telefone: (43) 3371-4428
E-mail: signum@uel.br
ISSN: 2237-4876