Interfaces entre Lexicografia, Semântica e Tradução

Arelis Felipe Ortigoza Guidotti

Resumo


Este artigo discorre sobre ligações possíveis entre Lexicografia, Semântica e Tradução. Por meio da experiência de elaboração de um dicionário bilíngue na direção português-espanhol, feito para brasileiros, foi constatada a necessidade de reflexão sobre a carga semântica atribuída a uma lexia na sua língua de origem, antes que fosse registrada num dicionário. Foi verificado que a Lexicografia segue os pressupostos da Semântica Formal, enquanto que a Semântica da Enunciação sugere que sejam registrados todos os significados de uma lexia de acordo com o(s) enunciado(s), o qual se torna inviável em um dicionário. Tampouco seria viável registrar todos os sentidos que a lexia tem para cada indivíduo, de acordo com a sua subjetividade, se o dicionário seguisse os pressupostos da Semântica Cognitiva. Por outro lado, a Tradução poderia beneficiar-se com maior liberdade das contribuições desses três modelos de análise semântica, já que, tanto na tradução intralinguística, como na interlinguística, busca-se a fidelidade ao enunciado original. Sendo assim, considera-se que um trabalho integrado entre especialistas da Lexicografia, da Semântica e da Tradução poderia trazer benefícios a todas estas áreas do conhecimento, podendo resultar num registro mais completo do(s) significado(s) de unidades léxicas em dicionários.

Palavras-chave


Lexicografia; Semântica; Tradução

Referências


AHUMADA LARA, I. Aspectos de lexicografia teórica. Granada: Universidad de Granada, 1989.

BENVENISTE, É. Natureza do signo linguístico. Problemas de Lingüística Geral I. Campinas: Pontes, 2005[1966].

DAVIDOFF, L. L. Introdução à Psicologia. 3 ed. São Paulo: Pearson Makron Books, 2001.

DUBOIS, J. et al. Dicionário de Lingüística. São Paulo: Cultrix, 1999 [1973].

DUCROT, O. Esboço de uma teoria polifônica da enunciação. In:______. O dizer e o dito. Campinas: Pontes, 1987[1984].

HARTMANN, R. R. K.; JAMES, G. Dictionary of Lexicography. Londres: Routledge, 1998.

JAKOBSON, R. On Linguistic Aspects of Translation, Language and Culture. On Translation. Harvard: Harvard University Press, 1959.

KELLER, H. The story of my life. New York: Doubleday, Page & Company, 1905.

KERNERMAN, I. Dictionary. Obsolete?. Kernerman Dictionary News. n. 21, p. 1, jul. 2013.

LARA, L. F. O dicionário e suas disciplinas. In: As ciências do léxico: lexicologia, lexicografia, terminologia. Vol. II. Campo Grande: Ed. UFMS, 2004.

OLIVEIRA, R. P. de. Semântica. In: MUSSALIM, F., BENTES, A. C. Introdução à lingüística. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

OUSTINOFF, M. Tradução: História, teorias e métodos. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.

PINKER, S. Como a mente funciona. Companhia das Letras, SP, 2008.

PORTO DAPENA, J-A. Manual de técnica lexicográfica. Madrid: Arco/Libros, 2002.

REY-DEBOVE, J. Léxico e dicionário. Alfa, São Paulo, 28(supl.), p. 45-69, 1984.

SAUSSURE, F. Curso de lingüística geral. 28 ed. São Paulo, SP: Cultrix, 2000 [1916].

WELKER, H. A. Dicionário – uma pequena introdução à lexicografia. Brasília: Thesaurus, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-4876.2018v21n3p408

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Signum: Estudos da Linguagem
Telefone: (43) 3371-4428
E-mail: signum@uel.br
ISSN: 2237-4876