O trabalho com o gênero carta pessoal na Educação de Jovens e Adultos

Joseval Dos Reis Miranda, Lindolfo Santos Ramalho

Resumo


O presente artigo aborda sobre o processo de escrita da carta pessoal por estudantes da Educação de Jovens e Adultos. Em um primeiro momento, tecemos reflexões sobre os gêneros textuais como estratégia para o ensino da escrita, e, em seguida mais especificamente expomos sobre a carta pessoal. Os nossos aportes teóricos constituíam-se de obras como Antunes (2003,2009), Cavalcante (2013), Dolz, Noverraz e Schneuwly (2004), Marcuschi (2002; 2008; 2010) e Oliveira (2014). A pesquisa foi desenvolvida por meio da abordagem qualitativa, na qual utilizamos a pesquisa participante, fazendo uso da observação participante e da roda de conversa. Foram colaboradores da pesquisa 05 estudantes da Educação de Jovens e Adultos, sendo 04 do sexo feminino e 01 do sexo masculino. Os resultados das análises apontaram que, a produção escrita da carta pessoal elaborada por meio da sequência didática desenvolvida por Dolz, Noverraz e Schneuwly (2004), possibilitou aos participantes da pesquisa a aquisição de conhecimentos linguístico-discursivos necessários à construção do gênero carta pessoal, bem como contribuiu para o reconhecimento e, ao mesmo tempo, para a superação das principais dificuldades por eles apresentadas durante o processo de escrita da carta pessoal.

Palavras-chave


Gêneros textuais; Carta pessoal; Educação de Jovens e Adultos.

Referências


ANTUNES, Irandé. Aula de português: encontro & interação. São Paulo: Parábola Editorial, 2003.

ANTUNES, Irandé. Língua, texto e ensino: outra escola possível. São Paulo: Parábola, 2009.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: 5ª a 8ª série. Brasília: SEF/MEC, 1997.

CAVALCANTE, Mônica Magalhães. Os sentidos do texto. 1. ed. 1ª reimpressão. – São Paulo: Contexto, 2013.

DOLZ, Joaquim; NOVERRAZ, Michèle e SCHNEUWLY, Bernard. Sequências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento In: DOLZ, Joaquim e SCHNEUWLY, Bernard. Gêneros orais e escritos na escola. Trad. e Org. Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas: Mercado de Letras, 2004, p. 81-108.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONÍSIO, Ângela Paiva et al (Org.). Gêneros textuais e ensino. – São Paulo: Parábola Editorial, 2010.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONÍSIO, Ângela Paiva et al (Org.). Gêneros textuais e ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

OLIVEIRA, Maria do Socorro. Projetos de letramento e formação de língua materna. / Maria do Socorro Oliveira, Glícia Azevedo Tinoco, Ivoneide Bezerra de Araújo Santos. – Natal: EDUFRN, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-4876.2018v21n3p328

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Signum: Estudos da Linguagem
Telefone: (43) 3371-4428
E-mail: signum@uel.br
ISSN: 2237-4876