A próposito das noções de resistência e tomada de posição na análise de discurso: Movimentos de resitsência nos processos de identificação com o ser paraguaio

Fabiele Stockmans De Nardi, Felipe Augusto Santana do Nascimento

Resumo


Este artigo propõe um retorno às noções de resistência e tomada de posição no âmbito da Análise de Discurso pecheuxtiana, mediante a observação de como a noção de sujeito foi reconfigurada no interior da própria teoria, permitindo uma abertura para se pensar a reprodução-transformação da luta de classes. A consideração da contradição como inerente ao discurso e a interpelação do sujeito como um ritual sempre sujeito à falha permitem observar não apenas a sujeição a um discurso, mas os movimentos de transformação e resistência que são produzidos pelo sujeito a partir de sua inserção em determinada formação discursiva, fazendo-nos olhar para a heterogeneidade como inerente a esse espaço. Para pensar a relação entre resistência e tomadas de posição, analisamos uma série de enunciados que se vinculam à declaração do líder dos carperos do Paraguai, Eulálio Lopez, em que este nega a existência dos brasiguaios. Mediante a análise destes enunciados, procurar-se-á pontuar os movimentos de tomada de posição e resistência dos sujeitos a esses dizeres, discutindo a amplitude das noções de resistência e de tomada de posição na AD e sua produtividade na prática analítica.

Palavras-chave


Análise de discurso; Sujeito do discurso; Resistência.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-4876.2016v19n2p80



Signum: Estudos da Linguagem
Telefone: (43) 3371-4428
E-mail: signum@uel.br
ISSN: 2237-4876