Cláusulas relativas na fala espontânea do português do Brasil: Um estudo exploratório baseado no corpus c-oral-brasil

Crysna Bonjardim da Silva Carmo, Heliana Mello

Resumo


Este artigo sistematiza o resultado de investigações exploratórias sobre as cláusulas relativas encontradas no minicorpus de fala espontânea do português do Brasil (PB), etiquetado informacionalmente, extraído do corpus C-ORAL-BRASIL. A seleção dos dados enfocou a identificação dos enunciados nos quais as cláusulas relativas ocorrem. Para essa tarefa, utilizou-se a plataforma DB – IPIC (Panunzi & Gregori, 2011). Em seguida, para triagem das cláusulas relativas, empregou-se a ferramenta computacional AntConc (Anthony, 2013). Para verificação da estrutura informacional dos enunciados, adotou-se o programa WinPitch (Martin, 2004). Os resultados encontrados: (i) corroboram, em termos prosódicos, a diferença entre cláusulas relativas restritivas e relativas não-restritivas – as primeiras ocorrem linearizadas numa mesma unidade informacional e as últimas, padronizadas em mais de uma unidade informacional; e (ii) demonstram que no PB, ambas ocorrem preferencialmente na unidade de COM, e mesmo o padrão informacional preferencial das relativas não-restritivas é resultado da combinação com uma unidade informacional de COM. Além disso, o artigo apresenta uma descrição de cláusulas relativas através de um  modelo diagramático que permite  alcançar: (i) as relações internas entre  cláusula relativa  e  principal; e (ii) a estrutura informacional definidora da estrutura interna dos enunciados –  escopo de realização das cláusulas relativas. 


Palavras-chave


Fala espontânea; Cláusulas relativas; Linguística de Corpus

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-4876.2016v19n2p342

Signum: Estudos da Linguagem
Telefone: (43) 3371-4428
E-mail: signum@uel.br
ISSN: 2237-4876