Um confronto heurístico entre práticas de letramento e as epistemologias do monologismo e do dialogismo

Mara Sofia Zanotto, Ariane Mieco Sugayama

Resumo


Há três décadas ocorreu uma ruptura epistemológica nos estudos de leitura e escrita com a emergência dos estudos de letramento. No entanto, certos conceitos sofreram um processo de naturalização, como o de prática social e prática de letramento, exigindo uma atenção maior dos pesquisadores para desenvolver uma conceptualização mais elaborada desses conceitos que possibilite maior poder explicativo das investigações empíricas. Desse modo, este artigo pretende contribuir para uma discussão mais aprofundada do conceito de prática de letramento ao focalizar duas práticas – a prática de leitura dominante no contexto escolar e a prática do Pensar Alto em Grupo – que são sustentadas pelos pressupostos de duas epistemologias – do monologismo e do dialogismo. Nossas reflexões epistemológicas levaram à conclusão de que ambas as epistemologias explicam não só as concepções de leitura subjacentes a essas duas práticas, mas também constituem modelos de pensar, agir e interagir, que podem contribuir para uma conceptualização mais desenvolvida do conceito de prática de letramento.


Palavras-chave


Prática de letramento, Dialogismo, Pensar Alto em Grupo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-4876.2016v19n1p11



Signum: Estudos da Linguagem
Telefone: (43) 3371-4428
E-mail: signum@uel.br
ISSN: 2237-4876