Estudo da variação lexical na Amazônia paraense: um olhar sobre o atlas linguístico do Brasil

Sandra Regina Feiteiro, Soorro Cardoso Silva, Sandra Regina Feiteiro

Resumo


Este artigo apresenta uma análise das ocorrências semântico-lexicais da fala dos moradores localizados na área rural da Amazônia paraense, em comparação às propostas apresentadas pelo Atlas Linguístico do Brasil (ALiB, 2001). Os dados foram coletados in loco através da aplicação do Questionário Semântico-Lexical (QSL), composto de quatorze campos semânticos para quatro informantes desse ponto linguístico. As análises foram feitas com o intuito de dar conta das dimensões diatópica, diagenérica e diageracional da variação ocorrida na fala dos informantes. Este estudo também foi orientado pelos pressupostos teórico-metodológicos da Sociolinguística, da Dialetologia e da Geografia Linguística. Para tanto, recorreu a autores como Labov (2008), Brandão (2005), Cardoso e Ferreira (1994), Aguilera (2005), dentre outros. Os resultados apresentados em cartas linguísticas demonstram a importância das pesquisas dialetológicas para o conhecimento da norma lexical de um espaço geográfico, apresentando alta produtividade de variantes para um mesmo conteúdo semântico e não coincidentes com as do ALiB.

 

 


Palavras-chave


Dialetologia; Sociolinguística; Variação-Lexical.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-4876.2015v18n1p157



Signum: Estudos da Linguagem
Telefone: (43) 3371-4428
E-mail: signum@uel.br
ISSN: 2237-4876