Um vínculo afetivo-cultural com a língua inglesa – o grande desafio

Joana de São Pedro, Denilson Amade Sousa

Resumo


Este trabalho olha para o ensino da língua inglesa na atualidade, levando em consideração o cenário da globalização pós-moderna (STIGLITZ, 2004) e a demanda para se falar tal língua, especialmente para adultos. Fazemos um percurso por questões históricas e metodológicas, incluindo o pós-método (KUMARAVADIVELU, 2001, 2003; LEFFA, 2003, 2012) e a corrente abordagem translíngue (CANAGARAJAH, 2013), e colocamos o problema do alto insucesso de aprendizado de inglês no Brasil, principalmente no que se refere à produção oral, segundo determinadas pesquisas, tais como a que é feita periodicamente pela EF1 (Education First). A partir de então, levantamos uma possível causa para esse insucesso (REVUZ, 1998), percorrendo o caminho da afetividade e da relação a ser estabelecida com a língua-alvo, em meio a encontros e embates nas diferenças (ROCHA, 2012). Finalmente, propomos uma reflexão para a sala de aula que veja a língua como discurso (JORDÃO, 2006, 2007, 2013; KRAMSCH, 1998, 2008a, 2008b, 2012, 2013), bem como leve o aluno a ter consciência de sua própria cultura e da do outro, de modo a vislumbrar uma visão de mundo ressignificada e possibilitando que ele/ela se sinta mais confortável ao estudar e usar a língua inglesa, caminhando para um entendimento de outras culturas. Palavras-chave: Cultura. Afetividade. Formação de professores.

Palavras-chave


cultura; afetividade; formação de professores Tipo, método ou ponto de vista Revisão de Literatura

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-4876.2014v17n1p298



Signum: Estudos da Linguagem
Telefone: (43) 3371-4428
E-mail: signum@uel.br
ISSN: 2237-4876