Verbetes oral, oralidade e discurso: análise crítica de dois dicionários didáticos de ensino de línguas estrangeiras / oral

Maria da Glória Magalhães dos Reis, Alice Maria de Araújo Ferreira

Resumo


Este artigo tem como objetivo apresentar uma pesquisa que

Este artigo tem como objetivo apresentar uma pesquisa que vem sendo desenvolvida pelo GPTT (Grupo de Pesquisa em Terminologia e Tradução) e que se propõe a realizar uma análise crítico-comparativa de dois dicionários Coste & Galisson (1976) e Cuq (2003). Neste trabalho, especificamente, abordamos o verbete “oral”. Para a realização da análise serão usadas como fundamentação teórica outras obras dos autores em questão Cuq (2005) e Galisson (1999) e de autores que se debruçaram sobre a questão da subjetividade (Coracini, 1999, 2005 e 2011), do discurso (Bakhtin, 1929/2010 e 1979/2010) e (Schneuwly & Doz, 2010) e da oralidade (Meschonnic, 1982 e 1999 e Marcuschi, 2008 e 2010). Observa-se, através deste trabalho, como a questão da oralidade, essencial nas discussões sobre ensino de línguas na atualidade, precisa ainda ser explorada tanto no domínio da Didática de Línguas e Culturas, de linha francesa, quanto no domínio da Linguística Aplicada, no Brasil, levando em conta seus aspectos subjetivos e discursivos.

 


Palavras-chave


Oral. Dicionário. Ensino de Língua Estrangeira.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-4876.2012v15n2p357



Signum: Estudos da Linguagem
Telefone: (43) 3371-4428
E-mail: signum@uel.br
ISSN: 2237-4876