Fatores que determinam a baixa frequência de leitura de textos em psicologia

Eliza Dieko Oshiro Tanaka

Resumo


O presente estudo teve como objetivo analisar os fatores que determinam a ausência da leitura sistematizada dos textos programados para a disciplina de Psicologia do Excepcional, sendo o mesmo conduzido através da Metodologia da Problematização, de Charles Maguerez. Os sujeitos deste trabalho foram seis alunos matriculados na referida disciplina e dois dos professores que ministram a mesma. Para a coleta de dados utilizou-se da técnica de entrevista, investigando-se a opinião sobre a importância da leitura para a formação do aluno, os procedimentos utilizados para a orientação da leitura e a forma como o conteúdo lido é tratado. A análise dos resultados mostrou que a distância entre a teoria e a prática, o uso de procedimentos inadequados para aula teórica, a falta de hábito de leitura e o tipo de currículo são fatores que determinam a ausência de leitura na referida disciplina. Apontou-se algumas hipóteses para a alteração da situação detectada, tais como: modificar a estrutura e funcionamento das aulas teóricas, aproximando-se o seu conteúdo ao da prática; utilizar procedimentos de ensino, nas aulas teóricas, que possibilitem um envolvimento mais ativo do aluno no processo ensino-aprendizagem; programar cursos de leitura, específicos para o aluno de 3° grau que instrumentalize-o a ler e aprender de forma crítica e construtiva; instrumentalizar o professor para explorar adequadamente a leitura junto aos alunos; definir procedimentos que viabilizem as reuniões pedagógicas, visando a integração das disciplinas através de seu conteúdo.


Palavras-chave


Leitura; Hábito de Leitura; Currículo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0383.1995v16n3p36

Semina, Ciênc. Soc. Hum.

email: seminahumanas@uel.br
E-ISSN: 1679-0383

DOI: 10.5433/1679-0383


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

SalvarSalvarSalvarSalvar