Caracterização da filosofia educacional do corpo docente da FUEL.

Zenite Terezinha Ribas César, Alexandre do Espírito Santo, Maria Helena Silva O. Carvalho

Resumo


Acredita-se que a caracterização de filosofia educacional de um corpo docente universitário possa subsidiar os departamentos, os centros e a própria universidade nos processos de definição e operacionalização dos seus objetivos educacionais. Com esse fim efetuou-se um estudo exploratório na Fundação Universidade Estadual de Londrina, do qual participaram vinte por cento do seu corpo docente. Baseado na descrição das correntes fllosófico-educacionais propostas por George F. Kneller em sua obra Introdução à Filosofia da Educação (1966) organizou-se um questionário com escalas bipolares, que permitiu a cada respondente expressar sua aprovação ou desaprovação, em graus diversos, a cada um dos princípios filosófico-educacionais. No instrumento, os princípios não eram identificados com as respectivas correntes, a fim de se evitar o "efeito de Halo". O trabalho apresenta os princípios dominantes tanto na Universidade como nas áreas de estudo, nas categorias "concordo muito", "discordo muito", e nas intermediárias. Verificou-se que a corrente filosófico-educacional mais representativa do modus operandi do corpo docente da Universidade é da PROGRESSIVISMO com um total de 212 escolhas. Com menor número de preferências vem o PERENIALISMO, seguido de RECONSTRUCIONISMO e ESSENCIALISMO.; O princípio do "progressivismo" que melhor caracteriza o pensamento didático do corpo docente é: "Considerando que o indivíduo aprende de acordo com os seus próprios meios e interesses, o papel do professor não é o de dirigir, mas de orientar a aprendizagem".


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0383.1981v3n9p49

Semina, Ciênc. Soc. Hum.

email: seminahumanas@uel.br
E-ISSN: 1679-0383

DOI: 10.5433/1679-0383


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

SalvarSalvarSalvarSalvar