Controle de Qualidade da Formação Profissional no Brasil: a Relação entre Universidades, Ministério da Educação, Órgãos Representativos de Classe e Mercado de Trabalho

Irene Zaparolli

Resumo


Este trabalho apresenta a educação vocacional e treinamento, também conhecido como cursos seqüenciais, uma forma de qualificação superior introduzida no Brasil em 1999. Devido a sua recente aprovação pelo Ministério da Educação esses cursos ainda estão em fase inicial e não há estudos que determinem se as habilidades específicas que esses cursos alegam desenvolver atendem a demanda do mercado de trabalho, que é um dos principais objetivos do Ministério da Educação (BRASIL, 1996). Este artigo tem como objetivo discutir a (falta e) relação entre as universidades, o Ministério da Educação, os órgãos representativos de classe e o mercado de trabalho. Os métodos de coleta de dados consistem em revisão da bibliografia existente, análise de documentos da legislação brasileira, documentos institucionais e entrevistas com responsáveis pelas instituições envolvidas. Os resultados permitem concluir que não há uma relação entre o Ministério da Educação, as universidades, que ofertam ou não cursos seqüenciais, as federações, os conselhos regionais,os sindicatos e o mercado de trabalho levando a um a falta de controle de qualidade da formação profissional.

 

 


Palavras-chave


Formação profissional e treinamento; Universidades; Órgãos representativos de classe.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0383.2004v25n1p75

Semina, Ciênc. Soc. Hum.

email: seminahumanas@uel.br
E-ISSN: 1679-0383

DOI: 10.5433/1679-0383


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

SalvarSalvarSalvarSalvar