A construção dos enunciados ambientais no currículo, na perspectiva da vontade de verdade

Moisés Alves de Oliveira

Resumo


O presente artigo visa a pôr em discussão a construção do discurso ambientalista, a partir das proposições dos professores das 2ª e 27ª Coordenadorias Regionais de Educação do Estado do Rio Grande do Sul, tendo como tema de fundo as influências das megaconferências que tratam do desenvolvimento sustentável e meio ambiente, bem como a naturalização do pensamento moderno nas concepções atuais acerca do ambiente, apresentadas nos discursos de 30 educadores do Ensino Médio. Nas proposições dos professores, notou-se uma preocupação comum: a de saber ensinar a boa direção com relação ao tema vida e ambiente, sobretudo com relação às questões de preservação no contexto do ambiente urbano. No âmbito deste trabalho, o desejo da boa direção será chamado de vontade de acertar. Devido aos discursos observados demonstrarem relações de poder muito explícitas, serão utilizados, como ferramenta, os pensamentos do Filósofo Francês Michel Foucault. Central neste estudo foi a busca do entendimento de quais espaços enunciativos constituem, nos discursos dos professores, a vontade de acertar.

 

 


Palavras-chave


Currículo; Vontade de verdade; Educação ambiental.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0383.2005v26n1p71

Semina, Ciênc. Soc. Hum.

email: seminahumanas@uel.br
E-ISSN: 1679-0383

DOI: 10.5433/1679-0383


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

SalvarSalvarSalvarSalvar