A transferência na relação analítica: um retorno a Freud e Ferenczi

Fernanda Barros Moreira

Resumo


O objetivo deste artigo foi fazer um estudo bibliográfico a partir dos textos de Freud e de Ferenczi sobre o fenômeno da transferência na relação analítica, destacando a importância desta como possibilidade de transformação. A transferência possibilita ao paciente reviver afetos inconscientes e, quando a resistência for superada, abre-se uma possibilidade de mudanças profundas. Para Freud, na transferência, o material reprimido pode se tornar consciente, desde que as resistências sejam quebradas. Para Ferenczi, o analista deve dosar a tensão e o desprazer do processo analítico conforme a estrutura do ego do paciente, dando a este o tempo necessário para superar suas resistências. Ambos os autores salientam a dificuldade do manejo da transferência no processo analítico e a importância da análise do psicanalista. A partir da sua própria análise, o analista poderá ocupar a função de espelho essencial no processo de análise.

Palavras-chave


Psicanálise; Transferência; Psicanalista.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0383.2018v39n1p85

Semina, Ciênc. Soc. Hum.

email: seminahumanas@uel.br
E-ISSN: 1679-0383

DOI: 10.5433/1679-0383


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

SalvarSalvarSalvarSalvar